;

Categoria: Informações

O cuidado e a prevenção começam pela informação, por isso, no nosso blog você confere conteúdos exclusivos para sua saúde. Saiba ainda mais sobre como cuidar de você.


ícone de busca
imagem post resultado de busca

Informações

O que é Fósforo?

Fósforo é um mineral encontrado principalmente em alimentos de origem animal, alguns de origem vegetal e também em alimentos industrializados que contém conservantes. Para que serve o Fósforo? Juntamente com o cálcio, tem como papel principal, manter os ossos e dentes saudáveis. O que o excesso de Fósforo pode causar no sangue? Pode provocar coceiras, fraquezas nos ossos, endurecimento dos vasos sanguíneos, coração e pulmão. Dicas importantes para o controle de Fósforo Alimentos “vilões”Refrigerantes a base de cola, cerveja, salsicha, linguiça, hambúrguer, nuggets, presunto, mortadela, salame, molhos prontos, amendoim, paçoca, tabletes concentrados (galinha, carne, legumes, peixe), temperos, tortas e bolos industrializados, enlatados. Alimentos ricos em Fósforo que devem ser evitadosMiúdos de frango e boi, fígado, moela, sardinha, bacalhau, frutos do mar, chocolate e achocolatados, amendoim, avelã, paçoca, castanha de caju, nozes, grãos integrais (arroz integral, centeio, cevada, germe de trigo e linhaça). Tenha a dieta como a sua principal aliadaAlguns alimentos fonte de fósforo podem ser CONSUMIDOS em QUANTIDADE ORIENTADA PELO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO de sua clínica de diálise.Leite e derivados, feijão, ervilha, lentilha, grão de bico, proteína de soja, carnes em geral e ovos. Ação do Quelante ao fósforo dos alimentos No estômago e nos intestinos, os quelantes grudam no fósforo dos alimentos, assim, parte do fósforo é eliminado nas fezes, diminuindo a quantidade de fósforo no sangue. Quando prescritos pelo médico, os quelantes de fósforo devem ser tomados imediatamente junto às refeições ou lanches que contenham alimentos fontes de fósforo. ATENÇÃO: É importante tomar a quantidade de comprimidos prescritos por seu médico.

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

Insuficiência cardíaca congestiva

Quando você tem insuficiência cardíaca, seu coração precisa de uma dose extra de cuidado. Antes de explicarmos como você pode fazer isso, vamos ver o que significa insuficiência cardíaca congestiva. O que é insuficiência cardíaca congestiva? A função do seu coração é bombear o sangue, levando oxigênio e outros nutrientes para todas as células do corpo. Embora possa parecer, uma insuficiência cardíaca não significa que seu coração parou de bater. Na realidade, quer dizer que o seu coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo. Isso pode fazer com que você sinta cansaço, tontura ou fraqueza. Qual é a diferença entre insuficiência cardíaca e insuficiência cardíaca congestiva? A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é um estágio da insuficiência cardíaca, quando o líquido se acumula ao redor do coração. Quando isso acontece, é ainda mais difícil para o coração bater. Esse líquido também pode se acumular nos pulmões, abdômen, gado e na parte inferior do corpo. Você pode notar isso como inchaço (edema) em locais como os tornozelos. O que causa a ICC? Certas condições, como hipertensão ou diabetes, fazem o coração trabalhar mais por um longo período. Isso pode fazer com que seu coração se torne muito rígido ou fraco para bombear sangue tão bem quanto antes. Outras causas incluem: Ataque cardíaco; Insuficiência renal; Problemas com válvulas cardíacas; Doença coronariana; Ritmo cardíaco anormal. Qual a relação entre a ICC e a doença renal? A ICC e a doença renal trabalham juntas em um círculo vicioso: Os rins não conseguem filtrar líquido suficiente; O líquido se acumula ao redor do coração; O coração se enfraquece; O coração não consegue bombear sangue suficiente para fora; Os rins não recebem sangue suficiente. Mas aqui está a boa notícia! Cuidar dos rins pode ajudar a proteger o coração e cuidar do coração pode ajudar a proteger os rins. Como lidar com a ICC Você pode controlar algumas coisas. É importante lidar com os problemas que podem causar a ICC, como hipertensão. Estas são algumas maneiras de limitar os danos ao coração e aos rins: Sempre tome os medicamentos prescritos; Faça uma dieta saudável com baixo teor de sal; Pratique exercícios regularmente; Reduza o consumo de álcool; Perca peso; Pare de fumar; Controle a pressão arterial; Durma o suficiente; Reduza o estresse mental. Fale com o seu médico e com a equipe multidisciplinar se ver dúvidas sobre a insuficiência cardíaca congestiva. Estamos aqui para ajudar você!  

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

Como se manter saudável após um ataque cardíaco

Um ataque cardíaco pode mudar a sua vida. Entendemos que você pode estar sentindo uma certa apreensão. Portanto, antes de mais nada, vamos ver o que significa ter um ataque cardíaco. Em seguida, falaremos sobre os fatores de risco que você pode controlar para reduzir as chances de ter outro. O que é um ataque cardíaco? Seu coração é um músculo, quando se contrai, ele expele o sangue para o corpo. E como todos os músculos, ele precisa de oxigênio e outros nutrientes do sangue para funcionar.  Um ataque cardíaco (também chamado de infarto do miocárdio ou IM) ocorre quando uma artéria é bloqueada e uma parte do coração não recebe o fluxo sanguíneo necessário, então essa área do seu coração será danificada. Como posso me manter saudável após um ataque cardíaco? Pressão alta, colesterol alto, diabetes, doença renal, tabagismo, excesso de peso e histórico familiar de doença cardíaca aumentam o risco de ataque cardíaco. Confira abaixo o que você pode fazer para reduzir esses riscos.  Faça uma dieta saudável para o coração e benéfica para os rins Siga estas dicas e converse com o nutricionista do seu centro de diálise para mais informações. Reduza o sódio (sal) na sua alimentação para ajudar a baixar a pressão arterial. Nunca adicione sal à sua comida e evite alimentos com alto teor de sódio; Consuma gorduras saudáveis como peixe e azeite de oliva. Limite gorduras nocivas à saúde como carne vermelha, manteiga, frituras e alimentos processados; Preste atenção nas porções que você ingere para manter um peso saudável; Fazer exercícios regulares pode: ajudar a baixar a pressão arterial e controlar o colesterol; ajudar a perder peso ou manter um peso saudável; ajudar a controlar o açúcar no sangue se você ver diabetes. Até mesmo uma curta caminhada diária pode ajudar! Converse com seu médico antes de iniciar um programa de exercícios. Pare de fumar! As toxinas do fumo causam a formação de placas nas paredes dos vasos sanguíneos. Também aumentam o colesterol ruim e a pressão arterial. Converse com seu médico sobre formas de largar o hábito. Vá a todas as consultas de acompanhamento e procure não faltar a nenhuma de suas consultas médicas. Seus médicos podem ajudar você a cuidar da saúde e acompanhar a sua evolução. Além disso, a participação em um programa de reabilitação cardíaca pode ajudar muito com seu coração e sua saúde em geral. Quais são os sinais de alerta de um ataque cardíaco? Se você sentir algum dos seguintes sintomas, ligue imediatamente para o serviço de emergência: Dor ou desconforto no peito; Desconforto ou dor no braço, ombro, mandíbula, pescoço ou costas; Tontura, náusea ou vômito; Falta de ar fora do comum. Informe a equipe médica e multidisciplinar da sua clínica se tiver alguma dúvida ou preocupação. Estamos aqui para ajudar você a se manter tão saudável quanto possível!  

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

Acesso Vascular

O que você deveria saber O que é um cateter e por que eu tenho um?  Quatro entre cinco pacientes iniciam tratamentos com um acesso vascular conhecido como cateter ou CVC.  Normalmente, os cateteres deveriam ser utilizados somente por um curto período de tempo. Pois existe um alto risco de infecções sanguíneas devido ao implante do cateter perto do coração. Porque o cateter é um acesso temporário?  Os cateteres são colocados no pescoço do paciente enquanto ainda no hospital como uma solução temporária para o tratamento da insuficiência renal. Isso permite que a diálise comece quase imediatamente. Os de curta permanência são frequentemente considerados uma forma temporária de fazer diálise.  O risco de infecção de corrente sanguínea com um cateter de curta permanência é 9 vezes maior em comparação com outras opções permanentes de acesso vascular. Como faço para ter um acesso permanente? Para mudar de um cateter para uma das opções mais seguras de acesso vascular, converse com seu médico e a equipe multidisciplinar. Eles recomendarão uma opção de acesso permanente ideal para você. Opções de acesso permanente Os acessos permanentes necessitam de uma cirurgia ambulatorial relativamente simples, e um tempo para cicatrizar antes de serem utilizados. Quanto mais cedo você falar com seu médico, mais rapidamente poderá mudar para um acesso mais seguro. Ele pode ser uma Fístula, um PTFE ou um cateter de longa permanência. Fístula  Uma veia e artéria são conectadas para criar um vaso grande e calibroso sob a pele. Isso permite um bom fluxo sanguíneo durante a diálise e facilita a inserção das agulhas. Benefícios  Menor chance de infecção em comparação com todos os outros acessos; De longa duração. Considerações  Pode ser visível sob a pele; Geralmente leva de 6 a 8 semanas para desenvolver; As fístulas podem não amadurecer; Não é adequado para todos os pacientes. PTFE  Uma veia e artéria são conectadas por um tubo sintético de PTFE colocado sob a pele. As agulhas são inseridas no tubo sintético em vez de nas veias. Benefícios  Geralmente pode ser utilizado após 4 semanas. Considerações  Maior potencial de coagulação;  Maior chance de infecção em comparação com uma fístula; É provável que não dure tanto quanto uma fístula; Não é adequado para todos os pacientes. Cateter DP  Outra opção é um tipo diferente de diálise, chamado diálise peritoneal (DP), que não envolve sangue ou agulhas. Você precisará de um acesso permanente chamado cateter de DP. Um cateter de DP é um tubo que permite a entrada e saída do líquido de limpeza da barriga.  

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

Anemia

Assumindo o controle para sentir melhor A anemia é uma condição muito comum para pessoas com doença renal, porém, ela pode ser controlada. Para saber como controlá-la, é importante saber o que é a anemia. O que é anemia? Anemia significa que a pessoa não tem glóbulos vermelhos suficientes. Os glóbulos vermelhos são como pequenos caminhões de entrega em nosso corpo, ou seja, quando respiramos, os glóbulos vermelhos captam ar fresco de nossos pulmões e levam a todos os lugares do corpo que precisam dele para obter energia. Essas pequenas transportadoras trabalham 24 horas, sete dias por semana, fazendo com que cada respiração conte. É por isso que ter poucos glóbulos vermelhos é um problema. Sem eles, as células do nosso corpo não recebem todo o oxigênio necessário para obter energia. Isso pode causar cansaço, tontura, tontura, fraqueza ou falta de ar. Por que pessoas com doença renal têm anemia? Os rins são responsáveis por coordenar a produção de glóbulos vermelhos. Quando os rins param de funcionar, eles não dizem ao nosso corpo quando produzir glóbulos vermelhos suficientes. Isso causa anemia. Mas isso não é tudo. Pessoas com doença renal geralmente têm menos ferro em seus corpos. E o ferro é necessário pelas células vermelhas do sangue para fazer suas entregas. Um glóbulo vermelho sem ferro é como um caminhão de entrega sem gás. Eles não podem fazer entregas. Então, como a anemia pode ser controlada para nos sentirmos melhor? Controlando a anemia! Felizmente, o controle da anemia é possível com uma combinação de medicamentos. Primeiro, seu médico pode lhe dar ferro intravenoso, para ajudar os glóbulos vermelhos a fazerem suas entregas. Segundo, existe um medicamento chamado EPOGEN (Epo), que pode ajudar o corpo a produzir glóbulos vermelhos. Assume a tarefa de instruir o seu corpo a produzir glóbulos vermelhos, o que pode elevar sua contagem de glóbulos vermelhos a um nível saudável. Para mais informações, fale com o seu médico. Ele pode verificar se você tem anemia e ajudá-lo a tratá-la. Se você tem anemia, tratá-la fará com que você se sinta melhor.  

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

A importância de concluir todos os tratamentos

A diálise é muito necessária no tratamento, porém, ela só substitui algumas funções renais, para um tratamento mais eficiente e seguro é necessário concluir todos os tratamentos solicitados pelo seu médico. Veja como cada procedimento funciona: Rins Saudáveis Limpa seu sangue 24h por dia, 7 dias por semana. Diálise Peritoneal (DP)Limpa seu sangue lenta e continuamente 7 dias por semana, semelhante à função renal natural. Contudo, a DP não substitui a função renal completamente. HemodiáliseLimpa seu sangue lenta e continuamente 3 vezes por semana, semelhante à função renal natural. Contudo a HD não substitui a função renal completamente. Todo tratamento é importante e não deve ser reduzido ou ignorado O tempo que você gasta durante a diálise foi prescrito apenas para você, porque é o necessário para manter seu corpo saudável. Cada minuto é importante para evitar que toxinas e fluidos causem problemas em seu corpo. Isso permite que você viva a vida em plenitude! Pular tratamentos pode fazer você se sentir como se estivesse com gripe Entre os sintomas de não fazer diálise suficiente: Coceira; Falta de ar; Cansaço; Confusão; Dificuldade para dormir; Náusea; Inchaço; Diminuição do apetite. Informe seu enfermeiro se sentir algum destes sintomas. O que pode acontecer se você pular ou reduzir seu tratamento de diálise: Acúmulo de fluido Mesmo que você não sinta, o fluido extra em seu corpo exerce pressão sobre o coração fazendo com que fique sobrecarregado. A pressão sanguínea sobe O aumento da pressão arterial também exerce pressão sobre o coração, que o faz trabalhar mais para bombear o sangue. O fósforo sobe Excesso de fósforo pode causar problemas para os ossos, tecidos e vasos sanguíneos. Contudo, o fósforo pode ser mantido sob controle por meio da diálise regular e gerenciamento adequado da dieta e medicamentos! O potássio sobe Potássio em excesso pode fazer seu coração bater de modo irregular ou parar de bater por completo. No entanto, o potássio pode ser mantido sob controle por meio da diálise regular e gerenciamento da dieta. As toxinas se acumulam no corpo Essas toxinas podem prejudicar seu corpo e você pode experimentar mais dos sintomas acima mencionados. Como encaixar a diálise no seu dia a dia: Crie um plano diário para sua diálise Seguir uma programação pode manter seu dia organizado e ajudá-lo a fazer planos. Assim, você não precisa decidir entre diálise e as atividades que ama. Aproveite enquanto faz a diálise Dedique horas a si mesmo. Ligue para seus amigos e familiares, acompanhe os eventos atuais, assista ao seu programa favorito ou até durma. Se você precisar ajustar um tratamento ou estiver enfrentando desafios, converse com seu enfermeiro para descobrir o que pode funcionar melhor para você.É importante que você acompanhe os tratamentos perdidos e informe seu enfermeiro em sua visita mensal. Se você está esperando pelo transplante de rim, precisa mostrar que vai cuidar bem do rim novo. Faça isso cuidando de si mesmo e concluindo todos os tratamentos de diálise.

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

10 mandamentos para Diálise em trânsito

Diálise em trânsito Com planejamento e cuidados, o tratamento de diálise não é um impeditivo para sair de férias com seus familiares. É essencial planejar sua viagem com a devida antecedência para que sua equipe de saúde possa ter tempo hábil para ajudá-lo no processo. 10 Mandamentos para Diálise em trânsito: 1° Consulte seu nefrologista antes de planejar sua viagem, para avaliar sua condição clínica e poder viajar com segurança, sem riscos; 2° A solicitação do trânsito deve ser feita preferencialmente com 30 dias de antecedência da sua viagem; 3° Procure o Serviço Social da sua unidade e preencha o formulário de trânsito informando o estado, a cidade e o período desejado, para a verificação de disponibilidade nas clínicas mais próximas do seu destino para a continuidade do tratamento dialítico; 4° O Assistente Social fará o envio dos documentos exigidos para a clínica de destino (convênio ou particular). Caso seja SUS, toda a documentação será enviada para o órgão regulador para viabilização da vaga em trânsito (em alguns estados, esse processo é direto com as clínicas); 5° Não compre suas passagens enquanto a clínica de destino não autorizar o tratamento, visto que o paciente renal crônico não pode ter seu tratamento interrompido. A diálise é vital para manter suas condições de saúde; 6° O Serviço Social irá informá-lo sobre a aprovação do trânsito na clínica de destino. Se a vaga for liberada, compre suas passagens e prepare tudo para sua viagem; 7° Tenha em mãos seus documentos (cartão SUS, RG, CPF, carteira do plano de saúde, se ver), suas medicações e toda documentação original que foi enviada à clínica por e-mail (relatório médico e exames atualizados) antes de viajar. Reforce aos profissionais da clínica de destino caso seja alérgico a alguma medicação; Dica: fazer uma lista do que levar na mala é sempre uma boa ideia, pois evita esquecimentos. 8° Se vai para um local de praia, tome os devidos cuidados quanto aos horários de maior calor, proteja seu acesso vascular por onde realiza a diálise e cuidado para não desidratar, já que o paciente não pode ingerir muitos líquidos; 9° Para o paciente que faz DPA (diálise peritoneal automatizada), o processo é diferente, ele pode viajar, mas precisa consultar seu enfermeiro antes de planejar a viagem. O enfermeiro da DP fará a coordenação e orientação no processo de entrega dos insumos e de como transportar a cicladora; 10° Planeje com antecedência todos os detalhes para que possa desfrutar plenamente dos dias de férias, sem se preocupar com providências relacionadas ao tratamento durante sua viagem. Lembre-se: todo este processo depende de organização. O Serviço Social irá acompanhar todo o seu processo de trânsito. Em alguns casos, a clínica de destino pode não ter credenciamento ou não ter vaga disponível.

Ler mais
imagem post resultado de busca

Informações

Guia de exercícios domiciliares

Instruções direcionadas a pacientes com doença renal crônica durante o período de atenção à Covid-19. Entendemos que estes são tempos incomuns, nos quais, infelizmente, estamos enfrentando uma pandemia do novo coronavírus, a Covid-19. Preparamos um programa de três semanas com exercícios variados para que os pacientes se mantenham ativos. Abaixo estão as recomendações dos exercícios de alongamento, fortalecimento e respiração. Pratique pelo menos três vezes por semana para se manter forte e disposto durante todo este período!   Recomendações para os exercícios domiciliares  Faça uma alimentação leve (seguindo as orientações nutricionais), entre 30 e 40 minutos, antes dos exercícios. Escolha um local seguro em sua casa, evitando tapetes e piso irregular. Tenha um ponto de apoio para os braços. Preferencialmente, faça os seus exercícios descalço. Descanse de 1 a 2 minutos entre as séries e de 2 a 3 minutos entre os exercícios. Não prenda a respiração; puxe e solte o ar pelo nariz. Realize os exercícios somente se estiver se sentindo bem e disposto fisicamente. PARE imediatamente se tiver dor no peito, tonturas ou sensação de desmaio e avise ao profissional da sua clínica.   Para adicionar peso aos exercícios:           - Garrafa com areia ou água.           - Latas de conserva.           - Sacos de açúcar, arroz ou feijão.           - Halteres.   Alongamentos iniciais   ROTAÇÃO DO PESCOÇO  Sentado, com as costas bem alinhadas, olhe para a frente. Lentamente, rode a cabeça para um lado até sentir alongar. Segura essa posição por 10 segundos. Depois, suavemente, rode a cabeça para o outro lado. Repita isso 3 vezes para cada lado.   ROTAÇÃO DO TRONCO  Cruze os braços e coloque as mãos no ombro contrário. Lentamente, rode o tronco para um lado (o quadril mantém-se voltado para a frente). Fique nessa posição por 10 segundos. Repita isso 3 vezes para o outro lado.   PARTE SUPERIOR DAS COSTAS  Sentado, relaxe os ombros e mantenha a parte superior das costas reta. Mantenha os braços estendidos para a frente na altura  dos ombros. Segure nesta posição por 10 segundos. Repita isso 3 vezes.    COSTAS POR COMPLETO  Sentado, relaxe os ombros, junte as mãos e levante os braços. Olhe para cima e estique os braços o máximo que conseguir, tentando “tocar no teto”. Fique nessa posição por 10 segundos e retorne os braços para a posição inicial. Repita isso 3 vezes.     Exercícios de fortalecimento    SENTAR E LEVANTAR DA CADEIRA  Sente-se na cadeira (encostada na parede) com os pés afastados à largura do quadril e cruze os braços. Incline-se para a frente e, lentamente, fique em pé. Lentamente, volte para a posição sentada. Faça 10 repetições, descanse 1 a 2 minutos e repita por 2 vezes.   ELEVAÇÃO DOS OMBROS Eleve os braços à altura dos ombros. Lentamente, eleve os braços acima da cabeça, deixando os cotovelos um pouco dobrados. Retorne à posição inicial devagar. Faça 10 repetições, descanse de 1 a 2 minutos e repita 2 vezes.   ELEVAÇÃO DOS CALCANHARES Fique em pé e apoie-se na cadeira (que deve estar encostada na parede). Olhe para a frente, segure firme na cadeira e eleve os calcanhares (mantendo o peso na ponta dos pés). Lentamente, retorne os calcanhares até tocar no chão. Faça 10 repetições, descanse de 1 a 2 minutos e repita 2 vezes.   FLEXÃO DOS ANTEBRAÇOS  Braços ao lado do corpo e palmas das mãos viradas para a frente. Lentamente, dobre os cotovelos e leve as mãos até a altura dos ombros. Volte à posição inicial, lentamente, esticando os cotovelos. Faça 10 repetições, descanse de 1 a 2 minutos e repita 2 vezes.   Exercícios respiratórios terapêuticos Referem-se a intervenções cujo objetivo é prevenir, avaliar e tratar disfunções ventilatórias, evitando complicações. Puxar o ar de forma lenta e profunda gera diversos benefícios ao seu pulmão. Portanto, ensinaremos a seguir exercícios que podem ser realizados por você. Realize 10 vezes cada exercício.   Inspiração máxima sustentada   Puxe o máximo de ar pelo nariz, prenda a respiração por três segundos e então solte-o lentamente pela boca.     Inspiração e expiração fracionadas   Puxe o ar de forma fracionada, em ciclos, até encher o pulmão com o máximo de ar que conseguir. Depois solte lentamente pela boca.     Inspiração profunda e expiração forçada   Lentamente, puxe o máximo de ar pelo nariz, abrindo os braços. Em seguida, fechando os braços, solte todo o ar que conseguir pela boca, simulando um assobio (frêmito labial).       Este Guia é uma produção da Renal Fisio Excelência em Qualidade de Vida, em parceria com a DaVita Tratamento Renal -, cujos autores são: Dra. Thaís Branquinho, CREFITO/DF 205126-F Me. Heitor Ribeiro, CREF/DF 012904      

Ler mais

;